Microcrédito

O projeto de Microcrédito funciona como a parte prática do desenvolvimento comunitário, beneficiando famílias cristãs que passaram por um treinamento básico com um de nossos missionários. Com o recurso em mãos, a capacitação e o acompanhamento, cada família pode trabalhar na reconstrução de suas vidas, iniciando um negócio próprio para o sustento de seu lar.

Onde aplicamos?

Haiti

Acreditamos que o modelo de microcrédito implantado no Haiti possui maior eficácia no que tange ao desenvolvimento comunitário. A aplicabilidade disso nos provou que esta ferramenta, quando introduzida em um contexto de vulnerabilidade socioeconômica, leva à transformação das comunidades.

Utilizamos este método em duas comunidades haitianas: Kwade Boukè (13 famílias cristãs participantes) e Tikajou (17 famílias cristãs participantes). Apesar da inadimplência de 10% em ambas, acreditamos que o resultado foi positivo.

Nas duas comunidades, atuamos por meio da igreja sofredora local (Eglize Baptiste Jeruzalem e Eglize Pelerin de Jezi- Cris), onde encontramos irmãos que pereciam por falta de orientação administrativa e incentivo financeiro. Muito mais do que o investimento monetário, ministramos antes uma instrução básica sobre princípios econômicos administrativos. Depois disso, fazemos um contrato entre o representante familiar que irá gerir o negócio, o obreiro que aplicará o projeto e o pastor da igreja.

O dinheiro investido retorna ao caixa do microcrédito após sete meses, sendo o primeiro mês de carência. Durante este período, o obreiro (missionário da MAIS) acompanha cada pequeno negócio, instruindo no que for necessário.

Oriente Médio

Com o objetivo de garantir a segurança de nossos missionários, não informaremos a localidade exata do projeto. Nossas ações, contudo, têm uma abrangência que ultrapassa as fronteiras. Neste início, já implantamos o microcrédito em duas igrejas curdas e ainda beneficiamos uma família refugiada iraquiana. Em razão do contexto de restrição à liberdade religiosa, a aplicação do projeto é realizada de forma anônima, para não colocar os beneficiados em evidência quanto à fé praticada por eles.

Uma das igrejas curdas abriu um pequeno negócio bem parecido às nossas populares lojas de R$ 1,99. O lucro disso gera parte do sustento de todos os irmãos daquela comunidade. A outra igreja abriu um restaurante, e assim, tem servido de suporte para todos os irmãos. Já a família iraquiana tem se sustentado através da produção de refeições vendidas em embalagens descartáveis, distribuídas e comercializadas entre os refugiados locais.

Em todos os casos, fazemos o investimento financeiro e o acompanhamento. Não há necessidade de instruí-los administrativamente, uma vez que são pessoas que já possuíam esse conhecimento, assim como também não há possibilidade da formação da Associação por enquanto, para evitar a exposição dos irmãos.

Burundi

Em março de 2012, selecionamos duas igrejas em contexto de sofrimento no Burundi para aplicação do projeto de microcrédito, beneficiando 20 famílias (membros da Igreja Missão Internacional Maranata e da Igreja Metodista livre de Ngagara em Bujumbura, capital do país). O objetivo era aumentar o poder de compra e melhorar a situação financeira dos irmãos selecionados entre os mais economicamente desprivilegiados de suas igrejas. Concluímos o projeto satisfatoriamente em 2014.

O projeto foi implementado em três etapas: formação básica dos beneficiários focada em empréstimo e poupança, desenvolvimento de atividades geradoras de renda e trabalho em grupo. Cada participante retornaria mensalmente 5% do valor recebido em um total de 20 meses. O dinheiro pago de volta seria usado nas despesas administrativas das igrejas. A maioria dos beneficiários desenvolveu pequenos agronegócios baseados em cultivo e venda de vegetais, frutas, comida ou pecuária.

Consideramos o microcrédito no Burundi um case de sucesso, uma vez que 93% do dinheiro investido no projeto foi devolvido pelos participantes no período de 20 meses e 85% dos beneficiários pagaram a quantia total que fora emprestada e conseguiram continuar seus negócios de forma bem-sucedida após o término do programa. Além disso, outros membros da igreja e da comunidade foram apoiados de forma indireta, já que as famílias da Igreja Maranata começaram uma cadeia solidária que beneficia toda a região.

Leia também em: Inglês

Shares
Share This
MAIS no Mundo